ECONOMIA

Com fim do Auxílio Emergencial foco volta para o Programa Bolsa Família.


Divulgação

Dezembro marca o fim do auxílio emergencial e com isso os holofotes voltarão para o Bolsa Família, já que o Renda Brasil não decolou.

Serão ao menos 6 milhões de novas pessoas no programa social, segundo levantamentos iniciais do Ministério da Economia. Atualmente, 14,2 milhões de famílias recebem o benefício. 

Fomentar o Bolsa Família foi a saída encontrada pelo governo, segundo uma fonte da cúpula, para o fim do auxílio, já que não se trabalha com a extensão do benefício emergencial para 2021. A medida, no entanto, manterá sem cobertura boa parte dos trabalhadores informais que sacaram o benefício emergencial durante a pandemia, chamados pelo ministro Paulo Guedes de "40 milhões de invisíveis". 
 
Para melhorar a situação dos informais que não estarão em programas assistenciais, o governo também apostará em medidas de inserção no mercado de trabalho, como, por exemplo, a Carteira Verde e Amarela, que desburocratiza e barateia contratações. 

Mesmo sendo descartados, o Renda Cidadã, ou Renda Brasil, ainda podem ser discutidas pelo Congresso, mas ainda não há um desenho para o novo programa.
 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM





google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb