ECONOMIA

No início da década de 90 imobiliárias de Osasco anunciavam imóveis em dólares




Anúncio veiculado no Jornal Grande Osasco, em Janeiro de 1993

Comprar um imóvel em Osasco no início da década de 90 significava desembolsar dólares para a finalização do negócio. O que pode soar estranho atualmente foi uma prática de muitas imobiliárias, comprovado através de anúncios veiculados nos jornais, como o “Grande Osasco” em janeiro de 1993.

Uma casa térrea no Km 18, com 2 dormitórios e garagem para 2 autos era anunciada por US$ 23 mil. Já no Parque Continental, uma residência com 3 dormitórios sendo 1 suíte, piscina e garagem para 3 autos foi anunciada por US$ 130 mil, apartamentos no Bela Vista  custavam entre US$ 25 a US$ 60 mil. Um sobrado no Jardim da Glória com 3 dormitórios era negociado a US$ 55 mil, enquanto no Jardim da Flores com 2 dormitórios era pedido US$ 27 mil.
  
A instabilidade reinava
 

Em 1993 a inflação acumulada no Brasil chegou a 2708,39%, segundo o Índice Geral de Preços da Fundação Getúlio Vargas.

O ceticismo e insegurança da população vem se arrastando há décadas e se intensificou a partir de 1986 a partir do Governo José Sarney, que implantou o Plano Cruzado (Cz$), substituindo o cruzeiro (Cr$) cortando três zeros da antiga moeda que perdurou até 15 de março de 1990, que ainda passou a ter como o cruzado novo (NCz$), para substituir o cruzado, e que circulou entre 16 de janeiro de 1989 a 31 de outubro de 1990, uma tentativa também fracassada.
 
O cruzado Novo foi trocado pelo Cruzeiro (Cr$), com circulação entre o dia 15 de abril até 30 de setembro de 1992. Já no governo Itamar Franco entre 29 de outubro de 1993 a 15 de setembro foi à vez do Cruzeiro Real (CR$), a última e a antecessora do Real (R$), que foi oficializada em 1° de julho de 1994.
 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM





google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb