EDUCAÇÃO

Prefeitura de Guarulhos antecipa vacinação de profissionais de educação para 7 de junho.


Divulgação

A Prefeitura de Guarulhos anunciou a antecipação da vacina para os professores nesta terça-feira (1º). Pelo Plano Estadual de vacinação, esses profissionais seriam vacinados a partir de 21 de julho.
 
Mas em Guarulhos, profissionais de educação a partir de 18 anos, com ou sem comorbidades, começam a ser vacinados a partir da próxima segunda-feira (7).

Profissionais de pré-escola e creche começarão a ser vacinados na segunda-feira (7). Na segunda-feira (14) seguinte, começarão a ser vacinados os profissionais do Ensino Fundamental.

Depois de quinze meses sem aulas presenciais, os 121 mil alunos da rede municipal de Guarulhos começaram a voltar para a escola nesta terça-feira (1º).

A Secretaria da Educação da cidade diz que está tomando as medidas de higiene recomendadas e que o retorno é seguro. Já os representantes de professores e funcionários da área dizem que não dá para voltar sem vacina para todos.

A Evelyn é aluna do primeiro ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Celso Furtado, no bairro de Bonsucesso, em Guarulhos. Esta terça-feira (1º) foi o primeiro dia dela na escola. Até então, era só pela internet.

“Estava com muita saudade de entrar na sala e fica estudando, da professora...”, conta ela.

Quando abriu o portão, depois de medir a temperatura, ela foi a primeira a entrar na sala. Aproveitou o contato pessoal com a professora Gisele Fonseca para mostrar o que conseguiu aprender de casa.

"É um desafio que a gente esteve enfrentando, agora o ensino híbrido é outro desafio", afirma a professora.

Cada escola pode receber, no máximo, 30% dos alunos. As turmas estão escalonadas. São duas horas e meia de aula por dia, duas vezes por semana.
 
Todas as salas têm álcool em gel e são higienizadas entre uma turma e outra. O uso de máscaras é obrigatório.

A Prefeitura da cidade criou um guia de monitoramento para que possíveis casos de Covid 19 sejam identificados e rastreados. Os alunos não são obrigados a frequentar as aulas presenciais. É possível continuar com o estudo online, de acordo como secretário municipal de Educação, Paulo Cesar Matheus da Silva.

"Nós promovemos ampla testagem não só nas crianças, como também nos profissionais e vamos continuar fazendo isso com periodicidade para poder monitorar", afirma.

O sindicato que representa 7 mil profissionais da educação na cidade tentou impedir a volta na Justiça. Não consegui, mas vão recorrer.

Para a diretora do sindicato, Viviane Lourenço, que é professora, o retorno só seria possível com vacinação em massa dos profissionais.

"A gente compreende que deve haver a vacinação para esses trabalhadores e completa. Com a primeira dose não dá para retornar”, afirma.
 
Para o médico infectologista Renato Grinbaum, é possível voltar para a escola em segurança desde que as regras de higiene sejam seguidas e com um acompanhamento rígido de novos casos da doença.

“Quando houver uma suspeita é importante que o pai notifique essa suspeita e ele não deve mandar o filho para a escola, mas deve avisar a escola. E a escola deve rastrear todas as pessoas que tiveram contato com essa criança e a pessoa deve ficar em quarentena”, afirma.

A rede estadual da educação retomou as aulas presenciais no dia 8 de fevereiro com capacidade máxima de 35% dos alunos.

De acordo com a secretaria, 1,8 milhão de alunos têm participado das aulas presenciais.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



EDUCAÇÃO  |   21/09/2021 20h54


EDUCAÇÃO  |   20/09/2021 17h14


EDUCAÇÃO  |   19/09/2021 11h17




google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb