SEMANA EM FAKE/BOATOS.ORG

O Zelenko não ganhou o Nobel e a "cura da cloroquina" continua sendo uma farsa.


Foto:(Reprodução/Redes Sociais)

Há alguns meses, defensores do chamado tratamento precoce contra a Covid-19 (que a ciência já mostrou não ter qualquer eficácia) dos Estados Unidos e do Brasil começaram a espalhar uma lorota pesada: a de que Vladimir Zelenko, um dos maiores defensores do uso da cloroquina para a cura da doença, iria receber o Prêmio Nobel da Paz por causa da sua “grande contribuição ao mundo”.
 
Entre variações da história (como a que dizia que o prêmio seria o Nobel de Medicina), a mensagem se espalhou como forma de fortalecer a tese de que a “cloroquina seria a cura da Covid-19” e se espalhou em espaços “offline” como, por exemplo, a CPI da Pandemia.

Apesar de absurda, a informação era, na época, difícil de checar se fossemos levar em conta apenas dados oficiais por dois motivos: 1) As instituições responsáveis pelo Prêmio Nobel não divulgam a lista de candidatos indicados (eles apenas divulgam os vencedores). 2) A indicação para o Prêmio Nobel é de livre nomeação. Basta um membro de uma universidade ou de um parlamento indicar um nome que ele será aceito.

Ou seja: é possível que algum negacionista tenha, de fato, indicado Zelenko para o Prêmio Nobel. Porém, há uma distância imensa entre “ser indicado” (até você ou eu, se tivermos um “amigo parlamentar” ou “professor de universidade”, podemos ser indicados). E essa é a questão: estava claro que Vladimir Zelenko não ganharia o Nobel da Paz ou o Nobel de Medicina por causa de suas teses em defesa à cloroquina para o tratamento da Covid-19.
 
O professor em questão, assim como um grupo de cientistas que defendiam o uso do fármaco para o tratamento da doença, continua insistindo em “protocolos” com o remédio que já se mostrou ineficaz em curar a doença (incluindo uma “nebulização com cloroquina”) e atacou vacinas com vídeos sem fundamento. Agora fica a pergunta: há chances de uma figura como essa ganhar um Prêmio Nobel?

Na época que o boato surgiu já apontamos que não. No texto em questão, apontamos que, além de ser impossível “garantir a vitória” de Zelenko, não haveria qualquer lógica em ele ser premiado pelo que fez na pandemia.

O texto foi escrito no Boatos.org em 26 de maio de 2021. Quase cinco meses depois, veio a resposta: Zelenko não ganhou o Prêmio Nobel da Paz. Ao contrário, o prêmio, entregue de forma justíssima, foi para jornalistas que lutam pela liberdade de imprensa e contra as notícias falsas (sim, nos sentimos representados).

Essa história nos deixa mais algumas lições sobre fake news. 1) Muitas vezes, narrativas absurdas e de difícil verificação servem para fortalecer teses falsas. 2) Quando não há como verificar em fontes oficiais, o bom senso é um ótimo aliado para o trabalho de checagem. Afinal, se tivéssemos esperado o resultado do Prêmio Nobel para desmentir esta tese absurda, a narrativa falsa se espalharia por meses sem ao menos alguém para rebatê-la.
 
Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, Whatsapp goldWhatsApp goldGambarelliMensagens de bom diaIvermectinaWhatsappWhatsapp GoldBolsa ditaduraExtra e Pfizer.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, sobre a notícia falsa que apontava que o Extra estaria dando prêmios de Dia das Crianças, que o cantor Thiaguinho havia iniciado um relacionamento com o jogador de vôlei Bruninho, que o Carrefour de Bruxelas estava vazio por causa da lockdown da pandemia, que uma advogada disse que fotos de “bom dia” no WhatsApp eram feitas por hackers e que há um vírus chamado WhatsApp e Gambarelli que rouba dados.

No Twitter e no Telegram, o conteúdo com maior engajamento era o que desmentia que o WhatsApp ficaria fora do ar por 72 horas. No Facebook e no Instagram, o conteúdo com maior engajamento era o que falava que Bolsonaro havia construído uma estrada em MT com “maquinário incrível”. Por fim, e no YouTube, o conteúdo mais visto era o que desmentia que Zé Vaqueiro havia sido vaiado por gritar Fora Bolsonaro.

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SEMANA EM FAKE/BOATOS.ORG  |   25/11/2021 20h53





SEMANA EM FAKE/BOATOS.ORG  |   14/11/2021 11h04


SEMANA EM FAKE/BOATOS.ORG  |   07/11/2021 17h26







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb